fbpx

Vilões invisíveis e como reduzir seus impactos nas contas do fim do mês

As contas do mês chegam mais altas com gastos que não estavam previstos em sua planilha e a solução é encontrar o furo. Quando colocamos as despesas na ponta do lápis conseguimos identificar os fatores que contribuem para a elevação dos custos. Porém, alguns deles ficam escondidos e são mais difíceis de serem notados.

As lâmpadas convencionais da sua empresa, por exemplo, podem inicialmente apresentar um valor mais atrativo. Contudo, o jogo vira quando a conta chega: seu gasto de energia dobra em relação às lâmpadas de LED.

A água também faz parte do consumo invisível e pode ser controlada. Um sistema efetivo e muito simples é o de captação de água da chuva. Ele funciona por meio de calhas que coletam a água da chuva por meio do decaimento do próprio telhado, que escoa pela tubulação até passar por um filtro que impede que folhas, pequenos animais e outros objetos cheguem até o reservatório onde essa água é armazenada. Esse sistema transforma a água não potável da chuva em benefício para sua empresa na medida em que pode ser produtiva para determinados fins desde que não seja seu consumo.

Outros vilões da sua conta podem ser aquelas luzinhas que ficam acesas depois que você já desligou todos os equipamentos. Há muitos mitos sobre aparelhos que devem ou não ficar ligados na tomada, ou se a luz que fica acesa de fato consome energia. Para tirar a dúvida é melhor consultar o manual e evitar correr o risco de estar pagando por algo que está desligado.

As instalações elétricas também podem estar aumentando sua conta. Quando os engenheiros fazem o projeto da rede elétrica, a proporção entre a quantidade de carga e de equipamentos elétricos a serem ligados é uma das fases determinantes do custo. Esse trabalho é importante para impedir que os condutores superaqueçam e, além de contribuir para que os aparelhos tenham vida útil longa, você consome muito menos energia, já que há mais corrente passando em um só condutor.

Outra forma de controlar os gastos com a empresa, é optar pela gestão da Mercatto Energia em sua empresa. Nossos consultores analisam o consumo de energia da sua empresa em curto, médio e longo prazo, possibilitando prever todos os gastos orçamentários e evitando surpresas no fim do mês.

E aí, o que sua empresa está fazendo para minimizar os gastos fixos?

Vantagens para a sua empresa ao entrar no mercado livre

O mercado livre de energia elétrica é um modelo de negócios relativamente recente e isso pode trazer inúmeras dúvidas sobre esse serviço. Por isso, vamos explicar quais são as vantagens que sua empresa vai encontrar migrando para o Ambiente de Contratação Livre de Energia.

Mercado Cativo x Mercado Livre

Antes de aprofundar nesse tema, vamos a um conceito básico que vai ajudar a ampliar seu conhecimento sobre o tema. De forma resumida podemos dizer que consumidores de energia elétrica podem atuar em dois ambientes de contratação de energia, o Mercado Cativo e o Mercado Livre.

O Mercado Cativo e o Mercado Livre existem lado a lado conduzindo as negociações de compra e venda de energia elétrica. A diferença é que no Mercado Cativo, ou Ambiente de Contratação Regulada – ACR, os consumidores são atendidos pelas distribuidoras de energia que tem as concessões para vender energia. Em outra mão, no Mercado Livre a compra é feita pelos consumidores diretamente das comercializadoras, através de contratos com condições livremente negociadas, como preço, prazo e volume.

Esclarecendo dúvidas sobre o Mercado Livre de Energia Elétrica

Nutrido por essas informações, talvez sua principal dúvida é se você pode ficar sem o fornecimento de energia elétrica. O fornecimento de energia é garantido pela distribuidora, assim como no mercado cativo. Dessa forma, o risco de faltar é quase nulo, exceto em casos de apagão ou de racionamento de energia. No entanto, nessas condições, o mercado cativo e o mercado livre são afetados igualmente, já que o fornecimento de energia não depende do local de contratação do cliente.

Vantagens do Mercado Livre

Como já dissemos antes, no mercado livre você pode:

  • Negociar o fornecedor, período, quantidade e preço da energia contratada.
  • Escolher de quem e como comprar energia, negociando livremente os acordos contratuais;
  • Os preços da energia em relação ao Mercado Cativo são mais atrativos em comparação ao Mercado livre, trazendo maior economia;
  • Maior flexibilidade na compra de acordo com o seu perfil de carga e sazonalidade de consumo;
  • Melhor previsão orçamentária e melhor planejamento financeiro para sua empresa, pois os reajustes são previamente acertados em contrato.

Se os riscos são pequenos, por que nem todas as empresas entram para o mercado livre de energia?

Aí é que conhecemos as desvantagens do mercado livre. Por ser um sistema mais complexo que o habitual, muitas empresas têm dúvidas sobre o funcionamento e acham que o mercado não é vantajoso para diminuir os gastos da organização. Sem falar que, para migrar, sua empresa precisa atender alguns requisitos básicos da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que é a câmara reguladora do setor.

É por esse motivo que ressaltamos que uma consultoria especializada é importante antes, durante e após migração para orientar o consumidor de todas as possibilidades, bem como do passo a passo para obter o melhor resultado possível.

Entender o mercado e como ele pode gerar economia para sua empresa é o ponto inicial para a migração. Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco que vamos esclarecer e te mostrar como isso pode ser tudo que sua empresa mais precisa no momento!

Por que migrar do mercado cativo para o mercado livre?

Para muitas empresas, a energia do Mercado Cativo, ou mercado tradicional de energia, ainda é a primeira — e, muitas vezes, a única — opção na escolha de fornecimento de energia.

Você pode até não perceber, mas quanto mais tempo sua empresa permanece no mercado tradicional, mais ela sofre com as penalidades na variação de custo de energia. Isso ocorre principalmente pelo acréscimo de custo das Bandeiras Tarifárias da fornecedora e pelo Horário de Ponta.

Ah, se você quiser saber um pouquinho mais sobre as Bandeiras Tarifárias, temos um post no nosso blog falando exatamente sobre isso: clique aqui para ir lá antes de continuar a leitura.

Atualmente, existem dois principais tópicos que refletem diretamente nos custos do negócio para empresas que ainda operam no Mercado Cativo:
 
1. Preço e competitividade: Seu Markup sobe, e consequentemente, o preço do seu produto também, dificultando processos de venda e fazendo com que sua empresa possivelmente perca espaço no mercado.

2. Abertura de novos turnos: Você provavelmente precisará abrir novos turnos para que sua empresa não sofra demais com o preço da energia em Horário de Ponta. Essa alternativa acaba sendo muito custosa em longo prazo, principalmente porque “reiniciar máquinas”, por exemplo, tende a gastar muita energia. Além de quebrar o processo produtivo, você acaba desperdiçando matéria-prima até se adaptar ao fluxo produtivo novamente.

Para solucionar de forma eficaz estes dois tópicos, você pode contar com a previsibilidade de custo. Ao optar pelo Mercado Livre de Energia, com um planejamento anual de médio e longo prazo bem executado, você ganha mais controle de suas contas, podendo saber com maior exatidão o quanto sua empresa irá gastar com energia. Além de reduzir custos e tornar sua empresa mais competitiva, você estará decidindo por uma fonte de energia sustentável, o que poderá potencializar seus resultados.