fbpx

Vilões invisíveis e como reduzir seus impactos nas contas do fim do mês

As contas do mês chegam mais altas com gastos que não estavam previstos em sua planilha e a solução é encontrar o furo. Quando colocamos as despesas na ponta do lápis conseguimos identificar os fatores que contribuem para a elevação dos custos. Porém, alguns deles ficam escondidos e são mais difíceis de serem notados.

As lâmpadas convencionais da sua empresa, por exemplo, podem inicialmente apresentar um valor mais atrativo. Contudo, o jogo vira quando a conta chega: seu gasto de energia dobra em relação às lâmpadas de LED.

A água também faz parte do consumo invisível e pode ser controlada. Um sistema efetivo e muito simples é o de captação de água da chuva. Ele funciona por meio de calhas que coletam a água da chuva por meio do decaimento do próprio telhado, que escoa pela tubulação até passar por um filtro que impede que folhas, pequenos animais e outros objetos cheguem até o reservatório onde essa água é armazenada. Esse sistema transforma a água não potável da chuva em benefício para sua empresa na medida em que pode ser produtiva para determinados fins desde que não seja seu consumo.

Outros vilões da sua conta podem ser aquelas luzinhas que ficam acesas depois que você já desligou todos os equipamentos. Há muitos mitos sobre aparelhos que devem ou não ficar ligados na tomada, ou se a luz que fica acesa de fato consome energia. Para tirar a dúvida é melhor consultar o manual e evitar correr o risco de estar pagando por algo que está desligado.

As instalações elétricas também podem estar aumentando sua conta. Quando os engenheiros fazem o projeto da rede elétrica, a proporção entre a quantidade de carga e de equipamentos elétricos a serem ligados é uma das fases determinantes do custo. Esse trabalho é importante para impedir que os condutores superaqueçam e, além de contribuir para que os aparelhos tenham vida útil longa, você consome muito menos energia, já que há mais corrente passando em um só condutor.

Outra forma de controlar os gastos com a empresa, é optar pela gestão da Mercatto Energia em sua empresa. Nossos consultores analisam o consumo de energia da sua empresa em curto, médio e longo prazo, possibilitando prever todos os gastos orçamentários e evitando surpresas no fim do mês.

E aí, o que sua empresa está fazendo para minimizar os gastos fixos?

Vantagens para a sua empresa ao entrar no mercado livre

O mercado livre de energia é um modelo novo e por isso pode trazer inúmeras dúvidas sobre o serviço. Por isso, vamos explicar quais são as vantagens que sua empresa encontra ao migrar para o Ambiente de Contratação Livre de Energia.

Uma das principais dúvidas é se você pode ficar sem o fornecimento de energia elétrica. O fornecimento de energia é garantido pela distribuidora, assim como no mercado cativo. Dessa forma, o risco de faltar é quase nulo, exceto em casos de apagão ou racionamento de energia. No entanto, nessas condições, o mercado cativo e o mercado livre são afetados igualmente, já que o fornecimento de energia não depende do local de contratação do cliente.

Como já dissemos aqui, no mercado livre você pode negociar o fornecedor, período, quantidade e preço da energia contratada. Isso difere da energia cativa, na qual você precisa seguir a todas as tarifas reguladas pelo governo. Para evitar problemas de desperdício ou penalidades durante a contratação, é muito importante que o consumidor escolha uma empresa que ofereça gestão especializada e adequada que seja capaz de contratar energia proporcional a quanto se irá consumir. No entanto, esse risco pode ser totalmente eliminado da sua lista, visto que as empresas que fornecem energia livre contam com profissionais especialmente qualificados para o serviço.

Se os riscos são pequenos, por que nem todas as empresas entram para o mercado livre de energia?

Aí é que conhecemos as desvantagens do mercado livre. Por ser um sistema mais complexo que o habitual, muitas empresas têm dúvidas sobre o funcionamento e acham que o mercado não é vantajoso para diminuir os gastos da organização. Sem falar que, para migrar, sua empresa precisa atender alguns requisitos básicos.

É por esse motivo que ressaltamos que uma consultoria especializada é importante antes, durante e após migração para orientar o cliente de todas as possibilidades, bem como do passo a passo para obter o melhor resultado possível.

Entender o mercado e como ele pode gerar economia para sua empresa é o ponto inicial para a migração. Ficou com alguma dúvida? Fale com a gente que podemos esclarecer!

Como trabalhar nos horários de ponta sem se preocupar com a conta de luz

O horário de ponta é assim chamado por ter um grande aumento de consumo de energia elétrica pela população em determinado período. Com isso, é aplicada uma diferença nos preços cobrados, variando conforme a demanda, como já explicamos aqui.

Em nosso País, esse horário de ponta pode variar de estado para estado. Geralmente ocorre entre as 17h e 21h, que é quando a maior parte da população está retornando para casa, utilizando eletrodomésticos e gastando mais energia.

Como as residências costumam usar muita energia nos horários de pico, a dificuldade para suprir a demanda é alta. Como consequência, o valor sobe e por isso as empresas e indústrias preferem não trabalhar durante este período. Isso sem falar que o aumento do valor cobrado também tem o propósito de incentivar o uso de energia fora dos períodos de pico.

A preocupação com a conta de luz impede que as empresas e indústrias trabalhem nesses horários para não correr o risco de o valor gasto com energia ser maior do que o faturamento. Afinal, é melhor prevenir do que remediar, certo?

Mas assim como todas as coisas ruins têm um lado bom, é aí que entra o mercado livre de energia. O propósito desse mercado é ser uma vantagem para o consumidor e para o meio ambiente, e é por isso que ele vai amenizar (e muito) seu medo da conta de luz.

É comum as empresas que utilizam mercado cativo pausarem suas atividades durante o horário de ponta. Já no mercado livre, é o oposto. As empresas são incentivadas, por meio de descontos na tarifa de distribuição, a consumirem energia nos horários de ponta, já que a única fonte utilizada dentro deste mercado é a renovável.

Além da possibilidade de trabalhar em horário de ponta com economia em energia garantida, o mercado livre permite que você tenha total controle do consumo de energia. Isso possibilita um planejamento orçamentário dos gastos de luz da sua empresa em curto, médio e longo prazo.

As vantagens oferecidas pelo mercado livre são muitas. Por que sua empresa ainda não aderiu a este modelo de consumo e começou a economizar desde já?

Fontes Renováveis

As fontes de energia renováveis, apesar de muito conhecidas, ainda não desenvolveram todo seu potencial. Isso significa que apesar de estarem sendo bem aceitas em empresas e residências — inclusive dando resultados positivos quanto à diminuição de gastos —, ainda há muito a ser explorado em relação a sua tecnologia para geração energética.

Sabe-se que a energia proveniente do Sol e do vento, por exemplo, são extremamente abundantes. Com o conhecimento que temos hoje, já é possível usufruir dessas fontes para substituir o mercado cativo (mercado tradicional de distribuição de energia). Nesse sentido, se deduz que daqui há alguns anos, a substituição do modelo de distribuição pelo renovável será inevitável.

Por este motivo, investidores estão apostando neste mercado para aumentarem sua renda em longo prazo. Com o aumento da popularidade de negócios sustentáveis, da implementação de hábitos saudáveis e orgânicos, a energia renovável vai se aproximando cada vez mais da vida de consumidores que buscam alternativas para ajudarem o planeta como um todo.

Trocar o fornecedor de energia já está se tornando pauta em grandes empresas principalmente pela responsabilidade com o meio ambiente e pela previsibilidade de gastos (falamos um pouquinho mais desse assunto neste post AQUI). E quais são as opções que você tem caso queira um fornecimento de energia mais limpo? Aqui vão as quatro alternativas mais populares para você ficar por dentro!

1. Energia Fotovoltaica ou Solar: A mais famosa dentre as renováveis, esse tipo de energia é muito popular pela facilidade em encontrar fornecimento terceirizado.

2. Energia Eólica: Popular em lugares com loteamentos grandes e desabitados, essa modalidade usa da força dos ventos para gerar energia. Está sendo muito procurada por investidores.

3. Energia Hidrelétrica: Gerada pelo movimento das águas e rios. Entre os países que mais produzem hidroeletricidade estão Canadá, Brasil e China.

4. Biomassa: É a tecnologia que permite converter em energia uma variedade de produtos como plantas, excrementos, madeira, resíduos agrícolas e até o lixo. É muito promissora para resolver o problema de resíduos que atinge o mundo inteiro.

Agora só falta você fazer a sua parte, seja investindo ou trocando de fornecimento! Vamos começar juntos a revolução verde na sua empresa?

Energia Incentivada

A energia incentivada é proveniente de fontes renováveis e ecologicamente corretas. Ela é gerada a partir de recursos naturais como o Sol, vento, água e biomassa. Além disso, carrega esse nome por ter incentivo de tarifas de distribuição.

Em poucas palavras, o consumidor deste tipo de energia acaba por aumentar liquidez em relação aos concorrentes, tornando um diferencial competitivo o simples fato de reduzir uma conta fixa.

Sendo assim, podemos dizer que optar pelo mercado livre de energia não se trata apenas de uma alternativa sustentável para o seu negócio, mas sim de uma otimização de custos. Esse tipo de ação pode tornar muito mais eficiente diversos setores e processos de sua empresa.

Um deles — muito buscado hoje em dia pelas grandes organizações — é o selo verde de empresa sustentável. Nossos clientes que optam pela energia incentivada recebem um certificado de uso de energia renovável, que é um pré-requisito importante para obter um diferencial competitivo no mercado.

Vale ressaltar que, para adequar sua empresa em uma das categorias de incentivo, é importante realizar um acompanhamento profissional. Lembre-se que podemos te ajudar! Ao fazer com que retome de uma vez por todas o controle dos gastos da sua empresa, você estará livre a novas perspectivas.

Por que migrar do mercado cativo para o mercado livre?

Para muitas empresas, a energia do Mercado Cativo, ou mercado tradicional de energia, ainda é a primeira — e, muitas vezes, a única — opção na escolha de fornecimento de energia.

Você pode até não perceber, mas quanto mais tempo sua empresa permanece no mercado tradicional, mais ela sofre com as penalidades na variação de custo de energia. Isso ocorre principalmente pelo acréscimo de custo das Bandeiras Tarifárias da fornecedora e pelo Horário de Ponta.

Ah, se você quiser saber um pouquinho mais sobre as Bandeiras Tarifárias, temos um post no nosso blog falando exatamente sobre isso: clique aqui para ir lá antes de continuar a leitura.

Atualmente, existem dois principais tópicos que refletem diretamente nos custos do negócio para empresas que ainda operam no Mercado Cativo:
 
1. Preço e competitividade: Seu Markup sobe, e consequentemente, o preço do seu produto também, dificultando processos de venda e fazendo com que sua empresa possivelmente perca espaço no mercado.

2. Abertura de novos turnos: Você provavelmente precisará abrir novos turnos para que sua empresa não sofra demais com o preço da energia em Horário de Ponta. Essa alternativa acaba sendo muito custosa em longo prazo, principalmente porque “reiniciar máquinas”, por exemplo, tende a gastar muita energia. Além de quebrar o processo produtivo, você acaba desperdiçando matéria-prima até se adaptar ao fluxo produtivo novamente.

Para solucionar de forma eficaz estes dois tópicos, você pode contar com a previsibilidade de custo. Ao optar pelo Mercado Livre de Energia, com um planejamento anual de médio e longo prazo bem executado, você ganha mais controle de suas contas, podendo saber com maior exatidão o quanto sua empresa irá gastar com energia. Além de reduzir custos e tornar sua empresa mais competitiva, você estará decidindo por uma fonte de energia sustentável, o que poderá potencializar seus resultados.

Bandeira Tarifária e Horário de Ponta

 

Não é nenhuma novidade que grandes consumidores que operam no Mercado Cativo de Energia enfrentam dificuldades no planejamento de custos com um dos seus principais insumos: a energia elétrica. Para os consumidores cativos, a Bandeira Tarifária representa um custo extra mensal, dependendo das condições de geração energética do país. Entenda melhor!

Empresas Linkedin GIF - Find & Share on GIPHY

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) traça o indicativo das Bandeiras, categorizadas em verde, amarela ou vermelha. Elas indicam se há acréscimo de custo repassado ao consumidor final. Com exceção da Bandeira verde, as outras — Bandeiras amarela e vermelha — representam condições custosas e menos favoráveis de geração de energia. É sabido que praticamente todos os consumidores cativos das distribuidoras são faturados por meio desse sistema.

Não há negociação e a divulgação tarifária ocorre de acordo com calendário previsto pela ANEEL, não permitindo margem ao consumidor para planejamento de gastos. Até aí nada de novo, não é?

Outro ponto que merece destaque, e que representa um custo elevado para os consumidores do Mercado Cativo, é a Tarifa de Energia no Horário de Ponta. Em poucas palavras, é um determinado período do dia em que o valor pelo uso da energia aumenta significativamente, impactando na produção de grandes empresas.

As Tarifas de Energia englobam os custos envolvidos tanto na geração e transmissão quanto na distribuição de energia elétrica, além de outros encargos.

E quem acaba sofrendo com esse aumento de energia?

O cliente final da empresa que opta pelo fornecimento de energia no Mercado Cativo. Isso porque a energia está ligada aos custos da produção de cada produto.

A melhor solução para eliminar os custos da Bandeira Tarifária e com as elevadas tarifas cobradas no Horário de Ponta é migrar do Mercado Cativo para o Mercado Livre de Energia. Com a mudança, a energia no horário de ponta tem o mesmo preço que nas demais horas do dia e não existe o adicional das Bandeiras Tarifárias.

Que tal se livrar das tarifas imprevisíveis e optar por retomar o controle dos seus gastos com energia elétrica?

1
Olá, tudo bem? Vamos conversar?!
Powered by