Saiba as vantagens do planejamento energético

O Brasil está enfrentando a pior crise hídrica em 90 anos. Com isso, a bandeira vermelha patamar 2 foi acionada e o valor reajustado em 52%. Várias empresas que têm a energia como principal insumo esperavam se recuperar economicamente dos efeitos da pandemia este ano, mas, ainda serão afetadas se não tiverem um planejamento energético.

No artigo de hoje, confira como planejar o consumo de energia do seu negócio e, assim, reduzir gastos. Boa leitura!

Planejamento significa redução de consumo e de custos

Cada vez mais, se faz necessário criar uma estratégia eficaz para consumir e comprar energia. É preciso planejar hoje para evitar problemas amanhã. Sendo assim, é interessante que se tenha cenários base e alternativos, para que se possa enfrentar diferentes situações que o mercado apresenta. Isso é muito importante, principalmente, devido ao contexto que o país se encontra.

A energia deve ser usada de forma racional e inteligente. Como? Com uma gestão energética. O gestor vai traçar um planejamento de acordo com o perfil do seu negócio, incluindo questões como: economia, produtividade, sustentabilidade e vantagem competitiva.

Como planejar o consumo energético da sua empresa?

Optar pelo planejamento energético é a única alternativa eficiente para identificar os meios mais qualificados para atender às demandas da sua organização. Um bom plano é aquele que considera todos os tópicos que podem surgir a longo prazo, com inteligência de mercado, prevendo situações que são capazes de impactar a produção e afetar negativamente o negócio.

Vantagens que uma consultoria em gestão energética pode trazer

– Diagnóstico do consumo de energia e redução de custos;

– Segurança no funcionamento de equipamentos;

– Soluções para aumentar a produtividade com menos gasto energético;

– Identificação de oportunidades no Mercado Livre de Energia e de geração própria;

– Construção e análise de cenários;

– Capacidade de neutralizar as variações de custo a partir da geração de energia renovável.

Precisa de ajuda para criar um planejamento energético?

Nós, da Mercatto, podemos auxiliar! Um excelente plano pensa não somente na economia, mas também na sustentabilidade. Esses são fatores essenciais para garantir excelentes resultados à sua empresa e ao meio ambiente.

Possuímos consultoria em energia elétrica e fazemos monitoramento energético, trazendo a solução que o seu negócio precisa. Entre em contato conosco clicando aqui e saiba como podemos ajudar.

Saiba qual é a diferença entre ACR e ACL na compra de energia

Se você quer adentrar ao mundo da negociação de energia elétrica, é preciso entender algumas questões, como o significado de Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e Ambiente de Contratação Livre (ACL).

Os termos são referentes aos dois modelos de compra de energia no Brasil. Continue a leitura e entenda como cada um funciona, quais as diferenças e qual é o mais adequado à sua empresa.

 

O que é o Ambiente de Contratação Regulada (ACR)?

Nele, a energia é adquirida pelas distribuidoras por meio de leilões e o preço é definido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Formado por clientes cativos – aqueles que podem comprar o insumo apenas da operadora responsável pela distribuição em sua região. 

Nesse tipo de mercado, o governo é quem regula as tarifas e cada consumidor tem uma fatura mensal. O valor é influenciado pelo sistema de bandeiras (já conhecidas pela população). Em períodos de seca, por exemplo, o preço se torna mais elevado.

 

O que é o Ambiente de Contratação Livre (ACL)?

É conhecido também como Mercado Livre de Energia. Aqui, os clientes negociam diretamente com as comercializadoras. Portanto, são dois contratos existentes: um com a distribuidora, pelo uso do fio de transmissão; e outro com a geradora, que é quem comercializa a energia.

Nesse ambiente, a fatura possui valor regulado pela concessionária local. Já as condições relacionadas a preço, prazo e volume de energia podem ser negociadas entre contratante e contratado.

Além disso, os consumidores são classificados como livres ou especiais. Os livres são aqueles que apresentam demanda a partir de 1.000 kW e têm a possibilidade de escolher o fornecedor por meio de livre negociação. Já os especiais possuem demanda entre 500 kW e 1.000 kW e têm o direito de adquirir energia de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) ou de fontes incentivadas, como eólica, biomassa ou solar.

 

Diferenças entre ACR e ACR para contratar energia elétrica

A principal diferença entre os dois ambientes é, como vimos, o modelo de contratação. Enquanto no ACR os valores são estabelecidos pelo governo, no ACL é possível negociar condições com a comercializadora e a geradora de energia.

Mas, para você entender todas as divergências entre as duas siglas, confira, abaixo, as características de cada uma:

Como migrar para o ambiente livre?

Para realizar a migração, é necessário que a sua empresa atenda a todos os requisitos do ambiente livre. Se for o caso, o indicado é solicitar uma consultoria especializada, para que todo o processo de mudança seja acompanhado.

Garanta grandes índices de economia ao adentrar no Mercado Livre de Energia. Para isso, conte com a ajuda da Mercatto, que conduz a contratação e analisa todas as questões burocráticas para que o seu negócio tenha os melhores resultados.

Fale com um de nossos consultores, clicando aqui.

Mercatto Energia e CCEE

Mercatto Energia e CCEE: uma parceria que dá certo!

O Mercado Livre de Energia Elétrica é um universo bastante complexo. Existem alguns agentes que fiscalizam, propõem soluções para o desenvolvimento do setor, e fazem a interlocução da área, de modo a garantir a produtividade de empresas e indústrias. Um dos órgãos envolvidos é a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

No post de hoje, vamos explicar o que é a CCEE, seu funcionamento e como ela, junto a nós, da Mercatto, pode proporcionar benefícios para a sua empresa. Leia mais!

O que é a CCEE?

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, mais conhecida por CCEE, é uma entidade sem fins lucrativos que tem o objetivo de tornar viável o comércio de energia elétrica no Mercado Livre de Energia. O órgão foi criado mediante lei federal nº 10.848 em 15 de março de 2004 e regulamentado pelo decreto nº 5.177 em 12 de agosto de 2004. 

A CCEE conta com um conselho administrativo, formado por cinco profissionais executivos, os quais são eleitos por assembleia geral e possuem mandato de quatro anos. 

Quais são as principais atribuições da CCEE?

As atividades destaque exercidas pela organização são: 

  • Realização de leilões de compra e venda de energia; 
  • Registro de contratos entre compradores e vendedores de energia; – Contabilização das operações de compra e venda de energia elétrica, analisando as diferenças entre o que foi gerado e o que foi consumido pelos agentes de mercado;
  • Avaliação de débitos e créditos dos agentes com base nas diferenças apuradas, realizando liquidação financeira das operações, a partir do cálculo do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD).

Todas essas ações são realizadas a partir de regras e procedimentos padronizados. Portanto, a instituição zela pela segurança do ambiente comercial de energia elétrica por meio de um monitoramento constante. Assim, é possível identificar e analisar as operações dos agentes que estão em desacordo com a legislação. 

Como a CCEE foi criada?

A CCEE é o resultado de um processo iniciado nos anos 1990, quando o mercado de energia elétrica no Brasil sofreu alterações, devido a reformas que ocorreram na época. Essas mudanças ajudaram a entrada de empresas privadas no setor e facilitaram o comércio. 

No entanto, foi só na primeira década do século XXI que se estabeleceu a lei e o decreto, tornando o órgão institucionalizado. 

Como a CCEE influencia a comercialização de energia?

O funcionamento do setor elétrico livre brasileiro não seria possível sem a existência dessa entidade, já que ela atua como operadora e interlocutora do mercado, aproximando agentes e órgãos reguladores.
A influência da CCEE se dá por meio da viabilização de um ambiente competitivo e sustentável. Ela zela pela segurança das partes interessadas e relacionadas nas negociações, sejam consumidores ou prestadores de serviço.

Quais são os benefícios que a Mercatto Energia pode oferecer, junto à CCEE?

Nós, da Mercatto Energia, somos uma empresa referência no Mercado Livre de Energia Elétrica e representamos os nossos clientes junto à CCEE

Contratar uma organização especializada trará todo o diferencial que o seu negócio realmente precisa, evitando erros no percurso e garantindo sucesso nos resultados. Dentro desse cenário, oferecemos diversos serviços, como planejamento estratégico, gestão de contratos, avaliação de cenários futuros, participação em leilões, assessoria durante todo o processo de adesão e modelagem na CCEE, e muito mais. A sua marca pode se beneficiar de muitas maneiras ao adentrar neste mercado, mas é preciso contar com uma equipe completa como a nossa para atingir um desfecho positivo. 

Conte com a Mercatto

Se você busca reduzir custos e obter energia sustentável, entre em contato conosco clicando aqui e saiba como podemos ajudar! 

Entenda como biodigestores geram energia

No ano de 1806, o químico europeu Humphrey Davi observou a produção de um gás rico em carbono e dióxido de carbono, gerado a partir da decomposição de dejetos de animais em condições de umidade.

Então, diante disso, criou os primeiros biodigestores. Esse processo foi muito utilizado no período da Segunda Guerra Mundial entre países da Europa, onde o biogás substituía os derivados de petróleo por meio da queima direta e uso em automóveis.

No Brasil, a sua utilização somente passou a ser uma opção a partir de 1979 e, até os dias de hoje, a energia oriunda do biogás é pouco conhecida.

No artigo a seguir, apresentamos essa fonte de energia limpa, renovável e com potencial incrível. Boa leitura!

Como funciona o processo de biodigestão

O biodigestor é uma câmara fechada, alimentada por resíduos orgânicos (esterco, restos alimentos, vinhaça, cama de frango, entre outros), onde esses rejeitos são misturados com água e o oxigênio é retirado. Em função da falta de oxigenação, algumas bactérias atuam nesses detritos originando biogás e biofertilizantes.

A utilização do biogás gerado dependerá da sua pureza em relação ao metano, entretanto, pode ser utilizado tanto para geração de energia elétrica e térmica, como na forma de gás combustível.

Biodigestão e suas vantagens

Sem dúvidas, são diversos os benefícios desse processo. A seguir, confira os principais:

– Produção de energia renovável a partir de uma fonte alternativa, que pode ser fonte de retornos financeiros pela venda de créditos de carbono;

– Processamento e destinação de resíduos orgânicos, minimizando a proliferação de vetores e reduzindo, consideravelmente, o odor exalado dos resíduos animais, além da redução de emissão de gases poluentes na atmosfera;

– Produção de um subproduto com alta qualidade para utilização como adubo orgânico para fins agrícolas, que melhora as características físicas, químicas e biológicas do solo, e realiza papel importante na proteção das lavouras contra pragas e doenças;

– Possibilidade de distribuição da energia gerada pelo processo ou armazenagem para uso posterior.

Fonte de energia limpa e renovável

Estudos apontam que, em longo prazo, 36% da demanda de eletricidade no Brasil pode ser obtida a partir da biomassa, sendo a agropecuária a maior fonte de conversão energética.

Além da obtenção de uma fonte de energia limpa e renovável, os biodigestores estimulam o tratamento de efluentes, minimizam a contaminação do solo e reduzem a emissão de gases na atmosfera.

O Brasil conta com 276 plantas de biogás em operação e 13 delas estão localizadas no Rio Grande do Sul.

Conte com Mercatto para ingressar no Mercado Livre de Energia

Se você busca reduzir custos e obter energia sustentável, saiba que acaba de encontrar a consultoria que procura.

Entre em contato conosco clicando aqui e saiba como podemos ajudar!

Perdas energéticas: saiba como evitar

Quantos relatos já ouvimos de pessoas que têm um consumo e despesa constantes de energia e, num dado momento ou mês, recebem uma cobrança muito mais alta que o de costume?

Isso acontece com muita frequência e pode estar diretamente relacionado a perdas energéticas. No texto a seguir, apresentamos algumas dicas para evitar o problema, mantendo o consumo e reduzindo gastos.

Aproveite a leitura!

O que é a perda energética?

É quando a energia que você dispõe não é totalmente aproveitada no consumo, ocasionada por diversos problemas, podendo ocorrer ao longo de todo o sistema elétrico.

Ela está diretamente relacionada à eficiência energética, que é quando o uso de energia é otimizado, garantindo aproveitamento de 100% do recurso disponível.

Para identificar e solucionar esse tipo de problema, além de estar atendo à conta de energia, é preciso realizar revisões e manutenções periódicas nos sistemas de eletricidade.

O impacto é sentido no bolso

Quando a energia não é bem aproveitada, em função de danos na rede ou perdas que ocorrem em seu processo de obtenção, o usuário inevitavelmente perceberá que o problema existe quando a fatura chegar.

O que não é aproveitado continua gerando custos e, também, pode acontecer de alguns aparelhos elétricos não receberem quantidade suficiente de abastecimento para funcionarem corretamente.

Como controlar melhor a energia e evitar perdas

É possível, por meio de medidas simples, controlar melhor o consumo e evitar perdas energéticas. Confira como a seguir.

  • Realizar revisões preventivas no sistema

Esse processo permitirá entender os problemas que originam as perdas de energia em suas instalações, de forma que sejam percebidos com tempo hábil para resolvê-los antes de causarem grande impacto nas suas despesas.

  • Realize diagnóstico energético

Isso permitirá mais clareza em relação a medidas que aumentam a eficiência energética, por meio de relatórios que demonstram o padrão de consumo da sua empresa ou instalações em geral, indicando como fazer aproveitamento adequado.

  • Mantenha os equipamentos em dia

Quando existem problemas na operação das máquinas que consomem energia, o consumo dispara e elas acabam demandando mais esforços do que seria de fato necessário. Sendo assim, manutenções são suas aliadas no quesito economia.

Quer economizar de verdade?

Apesar de existirem diversas formas de evitar desperdício de energia elétrica e economizá-la, fazer parte do Mercado Cativo ainda torna o serviço mais oneroso.

Para quem deseja economia de verdade para a sua empresa, vale a pena solicitar uma consultoria para migrar ao Mercado Livre de Energia.

Contate-nos e tenha acesso a todas as informações que você procura sobre essa modalidade, que, além de representar grande economia, ainda proporciona sustentabilidade.

Vamos conversar?

Saiba por que a energia solar tem alta demanda no Brasil

Se você já chegou até aqui, provavelmente já sabe um pouco sobre a energia fotovoltaica, uma fonte limpa e renovável que produz energia elétrica através da luz solar.

Essa energia renovável tem se destacado dentre as outras fontes nos últimos tempos e no mundo todo, sendo o tipo de energia que mais recebe investimentos, inclusive no Brasil.

Nós somos um dos 30 países que mais implantam energia solar no mundo e a tendência é que estejamos em breve pleiteando o topo da lista, já que a demanda só faz crescer.

Você quer saber mais sobre a energia solar e como aproveitá-la da melhor forma?

Continue a leitura e aproveite!

O que é energia solar fotovoltaica

Esse é o tipo de energia produzido através do sol e por incrível que pareça, mesmo em dias nublados ou de chuva, é possível obtê-la. A quantidade de radiação determina a produção de eletricidade, sendo assim, quanto mais sol, melhor.

Sua captação é feita através das placas solares e a quantidade de placas instaladas também interfere na quantidade de captação de energia.

Uma das grandes vantagens em gerar energia elétrica a partir da luz solar é que ela é considerada uma fonte de energia alternativa, limpa, renovável e sustentável.

O mercado de energia solar está em crescimento no Brasil

Conforme especialistas, o Brasil possui as condições climáticas e geográficas ideais para a produção de energia solar. O mercado, que se encontra em ascensão, caminha cada vez mais rápido em direção a investimentos que facilitem a chegada desse tipo de energia ao consumidor final.

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) estima que em 2021 teremos um acréscimo de 5,09 GW em potência instalada desse tipo de energia no país, o que representa um aumento de 68% em relação ao acumulado até o fim do ano passado.

A Resolução Normativa nº 482 da ANEEL, que estabelece as condições gerais para a microgeração e a minigeração de energia por fontes renováveis, incluindo a solar fotovoltaica, foi revisada. Com isso, passou a permitir que os consumidores gerem sua própria energia e possam injetar o excedente da energia na rede elétrica, criando o sistema de compensação de créditos.

Um grande passo para o futuro do modelo de consumo de energia em nosso país.

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no Mercado Livre de Energia?

Acompanhe os passos da Mercatto e não perca nenhuma novidade!

Telemetria de energia: saiba o que é essa tecnologia

A transmissão remota de dados em tempo real se tornou possível por meio da telemetria, que é comumente utilizada em veículos, para rastreamento, mas foi adaptada de forma inteligente para diversos ramos.

A seguir, trouxemos algumas informações sobre como funciona o sistema de telemetria em energia, equipamentos necessários e outros entendimentos pertinentes.

Siga a leitura deste artigo e entenda mais.

Telemetria de energia

No caso da energia, a telemetria possibilita o monitoramento do consumo de energia elétrica em diferentes ambientes, sendo extremamente útil para indústrias, instalações comerciais e até mesmo residências.

Tal recurso facilita compreender maneiras de consumir de forma mais eficiente e possibilita adaptar operações, a fim de melhorar o desempenho de setores e identificar anormalidades que possam estar ocorrendo.

Como é realizada a energia em telemetria de energia

Para a medição, é necessário um equipamento que, com um conjunto de sistemas fotovoltaicos, determina características sobre o consumo e a geração de energia elétrica.

Para clientes que fazem uso de energia solar, por exemplo, esse sistema permite mais confiabilidade acerca dos dados, mas pode ser utilizado em indústrias e residências em geral.

Vantagens da telemetria de energia

Dentre as diversas vantagens, um sistema de telemetria de energia permite ao consumidor controle dos seguintes dados:

• Corrente;
• Fator de potência;
• Energia ativa e reativa;
• Tensão;
• Consumo diário, mensal e anual.

Para isso, basta que os aparelhos estejam ligados por uma conexão à internet, em qualquer dispositivo: celular, computador e etc.

Ainda é possível emitir relatórios de consumo e receber notificações de anormalidades na operação.

Telemetria para acompanhar dados do fornecimento de energia no Mercado Livre de Energia

Consumidores cativos ainda possuem muitas dúvidas sobre a qualidade e a quantidade de energia que o Mercado Livre deste segmento oferece, além de seus benefícios.

Já os consumidores livres encontram na telemetria de energia a possibilidade de acompanhar os dados de recebimento e consumo de energia.

Essa tecnologia fornece a segurança que os mais cautelosos procuram ao contratar uma empresa fornecedora de energia livre e é uma ótima opção de análise e fornecimento de dados aos consumidores em geral.

No Mercado Livre de Energia, você encontra diversas fontes e consome energia limpa, renovável, garantindo o melhor custo-benefício.

Quer saber mais sobre as fontes de energia disponíveis? A Mercatto te ajuda!

Clique aqui e descubra novas possibilidades.

Sustentabilidade pode ser um grande diferencial para o seu negócio

O setor industrial é um dos grandes vilões quando falamos em emissão de poluentes para a atmosfera. O tipo de energia que a indústria consome, agrava este cenário pois, na maioria das vezes, se consome energia não renovável.

Empresas que optam por consumir fontes de energia alternativas e renováveis, demonstram preocupação com o futuro e adotam uma postura de cuidados com o meio ambiente, por meio do consumo de fontes renováveis de energia, geram impacto não só ao meio ambiente, mas também no quesito de competitividade com concorrentes.

Sustentabilidade é fundamental

Os consumidores estão cada vez mais conscientes e exigentes em relação a empresas que adotem condutas sustentáveis e a tendência é que, cada vez mais, eles exijam produtos de empresas que tenham certificação verde e equilíbrio entre o valor real e o social.

Essa exigência vai se estender para todos os campos de consumo e investir em tecnologias sustentáveis é uma alternativa que beneficia também as empresas, uma vez que passam a não depender de fontes de energia externas, reduzindo custos.

Em todo esse processo, consumidor final e indústria terão mais benefícios do que malefícios. Entretanto, quem mais ganha com isso é o meio ambiente.

Consumir energia renovável é preciso

A Organização das Nações Unidas (ONU) faz um alerta ao mundo há anos, sobre a necessidade de usar energia de fontes renováveis, a fim de minimizar os impactos ambientais no planeta e melhorar a qualidade de vida de todos os seres vivos.

Por meio de fontes de energia limpas e renováveis, é possível gerir adequadamente o funcionamento das indústrias, pois essas fontes não prejudicam demasiadamente o sistema e não se esgotam, a exemplo do sol e vento.

O Mercado Livre de Energia e sua contribuição para a sustentabilidade

Apesar deste modelo de energia ainda não ser disponibilizado para toda a população, ele já é possível para as indústrias e existe uma grande gama de possibilidades de contratação de energia livre.

A oferta de energia limpa e renovável permite que as empresas possam negociar melhor, reduzindo seus custos, impactando os consumidores finais e principalmente, consumindo energia de forma consciente e sustentável.

Portanto, aderir a essa modalidade de consumo é muito vantajoso, uma vez que gera grande potencial competitivo e atende às orientações dos órgãos mundiais quando o assunto é sobre cuidar do planeta e do futuro de todos.

Quer saber como a Mercatto Energia pode contribuir com o seu negócio? Clique AQUI e descubra agora mesmo.

Saiba como funciona o Mercado Livre de Energia

O Mercado Livre de Energia está em ascensão e já é uma opção para empresas e indústrias. Muito em breve, essa modalidade de consumo também será possível em residências.

A energia é responsável por altos números na relação de gastos de uma empresa. Pensando em promover economia e a possibilidade de escolher como e de quem comprar energia, surgiu o Mercado Livre de Energia.

O grande diferencial aqui é que, consumindo energia livre, você pode participar ativamente da negociação da energia que você utiliza, escolhendo seus fornecedores e trabalhando com contratos que atendem exatamente às necessidades do seu negócio.

O que é o Mercado Livre de Energia?

Nesse mercado, vendedores e compradores negociam a energia elétrica voluntariamente. Sendo assim, os consumidores podem contratar o fornecimento de energia diretamente com as geradoras e comercializadoras.

As condições da contratação da energia são negociadas entre si, o que é o oposto do tradicional mercado, que segue o Ambiente de Contratação Regulada (ACR), no qual o consumo deve ser obrigatoriamente oriundo da área de concessão, sem a possibilidade de escolher o fornecedor.

No Mercado Livre de Energia é possível escolher o período de contratação, qual empresa será a fornecedora e o quanto se quer pagar pelo serviço. Ainda podem haver negociações flexíveis, de acordo com as suas necessidades.

Devido à competitividade entre geradores e comercializadores de energia, existe um grande aumento na eficiência dos serviços e, consequentemente, redução de preços. Além disso, quem contrata energia livre pode se organizar melhor financeiramente, pois não está sujeito à mudança de bandeira tarifária nem oscilações do mercado cativo.

A energia livre pode ser comprada por qualquer um no Brasil?

Existem regras para poder consumir energia livre no país. Sendo assim, o mercado livre possui dois tipos de consumidores: os livres e os especiais. Entenda como funciona:

Para ser um consumidor livre, a demanda de energia contratada, oriunda de qualquer fonte de geração de energia, deve ser de, no mínimo, 2.000 kW. Já o consumidor especial deve consumir energia igual ou maior que 500 kW e inferior a 2.500 kW, sendo ela oriunda de fontes especiais, como eólica e solar, por exemplo.

Este cenário de consumidor está prestes a mudar, pois já tramita um projeto de lei, prevendo que todos os consumidores poderão optar por consumir do mercado livre, independente da carga ou tensão utilizada.

Quais são as reais vantagens de consumir energia livre?

Escolha no processo de compra

Ao optar por consumir energia livre, você decide como será o processo de compra, podendo escolher os fornecedores e a fonte que atendem melhor a sua demanda.

Competitividade e flexibilidade

Devido à concorrência entre comercializadores e geradores de energia, este mercado é muito competitivo, gerando maior eficiência do serviço e maior poder de negociação no preço.

Além disso, a negociação ocorre entre as partes envolvidas, com contratos bilaterais onde os órgãos reguladores não interferem.

Custos previsíveis

Ao contratar energia livre é possível ter mais controle sobre seus custos, além de saber antecipadamente o valor da energia consumida.

Preço fixo em todos os horários, sem bandeiras tarifárias

No Mercado Livre, o preço da energia não varia conforme o horário de utilização e as bandeiras tarifárias não se aplicam aos contratos de energia livre.

Sustentabilidade

Por meio do Mercado Livre é possível consumir energia de fontes eólica, solar, biomassa, cogeração qualificada e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), ou seja, energia limpa.

Riscos ao optar pelo Mercado Livre de Energia

Os principais riscos neste mercado são a exposição às variações de preço de energia e a possibilidade de o volume ser inadequado para a necessidade de consumo do seu negócio.

Para não correr nenhum dos riscos citados, o ideal é que você tenha o acompanhamento de uma consultoria especializada no assunto. Essa consultoria certamente buscará a melhor forma de aproveitar todos os benefícios do Mercado Livre de Energia.

Se você procura por mais informações sobre o assunto e uma empresa séria para acompanhar o seu negócio nesse mercado, saiba que a Mercatto Energia pode ser a sua parceira ideal.

Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar você e o seu negócio a consumir energia de forma mais sustentável e otimizar seus custos.

Energia Elétrica na China

Você sabe quais são os 2 países que juntos consomem 40% da energia elétrica do mundo?

Talvez passou pela sua cabeça que o Brasil estava entre os primeiros países do ranking como maiores consumidores de energia elétrica, mas na verdade está na sétima posição como um dos maiores consumidores de energia no mundo. A China e Estados Unidos (EUA) são os países que encabeçam o ranking dos maiores consumidores globais. Apenas EUA e China respondem por cerca de 40% do consumo primário de energia elétrica no mundo. Já o restante do grupo dos 20 mais consumidores responde por 80% do consumo primário global.

Hoje em dia a energia elétrica é fundamental para todos nós. O mundo se transformou completamente e, juntamente com isso, o crescimento e desenvolvimento de todas as atividades humanas dependem quase que exclusivamente da eletricidade.

Mas quais são países que mais consomem energia no mundo? Os primeiros colocados são China, Estados Unidos, Rússia, Índia, Japão e Alemanha. Esses países já conseguem distribuir essa energia para 99% de sua população.

As principais fontes de energia e a geração de eletricidade por combustível dos países que mais consome são: Carvão com 40,8%, Gás Natural com 21,6%, Hidro com 16,4%, Nuclear com 10,6%, e Óleo com 4,3%. Logo depois aparecem fontes renováveis, como a solar e a eólica.

No Brasil, as principais são: energia hidroelétrica, petróleo, carvão mineral e os biocombustíveis, além das outras como gás natural, energia nuclear e a energia solar que ainda são pouco utilizadas. A energia solar vem ganhando cada vez mais espaço no mundo. Diversos países já constataram as enormes vantagens em ter em sua produção energética, e ainda mais por meio dos incentivos do Mercado Livre de Energia brasileiro.

Energia elétrica na China

Desde 1980, a produção de energia da China tem crescido dramaticamente, já que o consumo doméstico também aumentou drasticamente com o rápido crescimento econômico chinês. Cerca de 80% da eletricidade gerada no país vem de recursos fósseis, nas termoelétricas, e 17% vem de hidroelétricas. Somente 2% da produção de eletricidade na China vêm de usinas nucleares.

Energia Elétrica na China

Embora a China tenha um rico potencial energético, a maior parte ainda tem que ser desenvolvida. Além disso, a localização geográfica das áreas produtoras de eletricidade está relativamente distante dos grandes consumidores industriais. Basicamente, o nordeste da China é rico em carvão mineral. A região central do Norte da China também é abundante em carvão mineral, e o Sudoeste da China tem um grande potencial hidroelétrico. Porém, as regiões mais industrializadas da China, o leste e o sudeste do país, tem pouca energia disponível, bem como poucas indústrias pesadas em torno das principais fontes de energia elétrica.

A China, em grande parte devido à preocupação com o meio-ambiente, queria mudar o seu sistema de geração de energia, altamente dependente do carvão mineral, que representa cerca de 70 a 75% de toda a produção de eletricidade, para uma produção com uma maior participação do petróleo, do gás natural, de fontes renováveis e da energia nuclear.

Energia Elétrica nos Estados Unidos

O sistema de energia elétrica da maior potência econômica do mundo, os Estados Unidos, é baseado em combustíveis fósseis, tais como: petróleo, em primeiro lugar, seguido de gás e carvão. Juntas, essas fontes respondem por 87,3% da produção energética. No entanto, desde 1990, os norte-americanos vêm investindo em fontes mais limpas, como a ­nuclear e as fontes renováveis.

Energia Elétrica nos EUA

Em 20 anos, a participação da energia atômica na matriz dos Estados Unidos cresceu 20,71% e a renovável, 4,3%. Em contrapartida, o consumo de combustível fóssil caiu 1,8% e a geração hidrelétrica, 0,8%. Embora o país não seja signatário do Protocolo de Kyoto, a matriz energética norte-americana ganhou eficiência entre 1990 e 2010, pois a porcentagem de emissão de gases de efeito estufa cresceu menos (10,63%) que o consumo de energia (15,89%).  A diminuição do uso de combustíveis poluentes e o aumento de fontes limpas fizeram com os EUA perdessem para a China o título de maior poluidor.

Ao visualizar essa realidade dos países que mais consomem energia elétrica, vemos que ambos buscam maior eficiência energética e uma maior utilização de fontes renováveis de energia. Isso é uma tendência mundial absoluta. Agora, para a realidade da sua empresa, saiba que pode contar conosco para trazer mais eficiência e maior utilização de energia oriunda de fontes renováveis.

Quer saber mais como você pode economizar custos com energia elétrica e ainda trazer sustentabilidade para a sua empresa? Aqui na Mercatto estamos prontos para te detalhar todo o processo, assessorar na migração do mercado cativo para o mercado livre de energia, além de consultoria com nosso time experiente e pronto a te mostrar as melhores opções para o seu negócio. Entre em contato agora mesmo.